Skip to content

Inter fica no 0 a 0 com o Red Bull Bragantino e deixa vice-liderança do Brasileirão

O Inter esteve longe das boas exibições recentes no Brasileirão. Em perseguição na parte de cima da tabela, fez jogo protocolar e ficou no 0 a 0 com o Red Bull Bragantino, na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio. A partida, válida pela 28ª rodada, freia o bom momento do colorado na competição, mas mantém a invencibilidade, que já dura mais de um mês.

 

Com o resultado, o Colorado perde a vice-liderança do Brasileirão para o Fluminense, que venceu na rodada. Vai a 50 pontos, fica na terceira posição, com 10 a menos que o líder Palmeiras, que bateu o Atlético-MG.

 

O próximo adversário do Inter é o Santos. Por conta das Eleições 2022, o confronto acontece no sábado, às 15h, no Beira-Rio. O jogo é válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

Primeiro tempo protocolar no Beira-Rio

Até momentos antes do jogo, a principal dúvida do técnico Mano Menezes era no meio de campo. E o treinador optou pela volta de De Pena ao time titular, com Mauricio no banco. Edenilson foi o outro volante, ao lado de Gabriel. Com Daniel ainda com lesão no olho, o camisa 1 foi mantido, e Keiller foi para o jogo. Igor Gomes fez sua estreia na lateral-direita, diante da suspensão de Bustos e da impossibilidade de Weverton, que pertence ao RB Bragantino, atuar.

 

A primeira chegada mais perigosa do Inter veio aos 12 minutos, em jogada pelo lado esquerdo. Pedro Henrique fez jogada em velocidade e cruzou rasteiro buscando a pequena área. Na sequência do lance, Alemão dividiu com o goleiro Cleiton, que ficou sentindo uma pancada, sem intenção, na cabeça. O jogo foi parado antes da sequência da jogada, e ficou cerca de 4 minutos interrompido, até a pronta recuperação do jogador do Red Bull Bragantino.

 

Pedro Henrique, aliás, era um dos principais jogadores do Inter na primeira etapa. O responsável por dar volume e distribuir o jogo em ambos os lados, aparecendo tanto na esquerda quanto na direita. Foi a válvula de escape de um time que até ficou mais com a bola, mas não conseguia criar tantas chances claras, pelo menos na primeira meia hora de partida.

 

A segunda metade do primeiro tempo foi de menos emoções. Mesmo com o árbitro deixando o jogo correr – por vezes até em excesso, de maneira errada, fazendo “vista grossa” para faltas – a partida ficou truncada, sem chegadas mais perigosas ou finalizações que dessem trabalho aos goleiros.

 

A melhor chance dos visitantes saiu apenas aos 43 minutos. Em boa jogada pela esquerda, Helinho recebeu após tabela e fez cruzamento buscando a entrada da área, onde estava Carlos Eduardo. Ele recebeu livre de marcação, mas dominou mal, e a finalização saiu prensada, fácil para Keiller ficar com ela e garantir o 0 a 0 ao intervalo.

 

Empate em 0 a 0 se mantém no segundo tempo

A primeira chance mais clara do Inter, que voltou igual do intervalo, saiu de um erro individual do zagueiro Léo Ortiz. Aos 7 minutos, em uma bola que parecia dominada com tranquilidade pelo defensor, ele escorregou e ela ficou livre nos pés de Alemão. Ele arrancou com ela, invadiu a área, mas viu a zaga se recuperar a tempo de mandar para escanteio e evitar o primeiro gol.

 

Em um momento delicado do Inter no jogo, em que o Red Bull Bragantino era melhor, Pedro Henrique, sempre ele, era a válvula de escape. Em novo posicionamento, pela direita, ele seguia dando trabalho à defesa do Red Bull Bragantino. Aos 16, ele avançou com a bola dominada e arriscou firme, rasteiro. Mais uma vez, obrigou Cleiton a espalmar para escanteio.

 

A resposta veio três minutos depois, na bola parada. Em cobrança de falta venenosa vinda da direita para a esquerda, ela veio fechando até o segundo pau. Lá, o artilheiro Luan Cândido apareceu de carrinho para mergulhar e finalizar, se aproveitando de falha do sistema defensivo do Inter. Ele perdeu um gol inacreditável, livre livre de marcação. Ela saiu à esquerda de Keiller, com muito perigo.

 

Vendo o momento difícil de seu time na partida, Mano Menezes fez duas trocas aos 22. Sacou o discreto Alan Patrick e o estreante na lateral-direita Igor Gomes para as entradas de Taison e Mauricio. Com a troca, ele baixou Edenilson para a função do sistema defensivo. O jogador já estava sendo alvo do “burburinho” do Beira-Rio por erros em sequência, especialmente no segundo tempo.

 

E foi justamente Mauricio que errou o gol mais feito da partida, e quiçá do Inter ao longo de todo o campeonato, minutos depois de entrar. Renê fez boa jogada, invadiu a área e, meio prensado, fez o cruzamento na pequena área. Ali, livre, debaixo das traves, sem marcação e sem goleiro, ele mandou a bola para fora. Ela caprichosamente passou à esquerda da trave de Cleiton, com requintes de crueldade.

 

No fim, o nervosismo pesou. Com a bola teimando em não entrar, e longe das melhores exibições, o Inter ainda precisou salvar mais uma chance. Aos 40, Keiller fez defesa importante em falha de Renê, e garantiu o 0 a 0. A vitória não veio e, assim, a equipe de Mano Menezes deixou a vice-liderança do Brasileirão, vendo a diferença para o Palmeiras aumentar para 10 pontos.

 

Fonte: CP

Compartilhe essa notícia

Navegue pelos posts!

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mensagem do dia

Ouça e faça o Download da nossa mensagem do dia!

Previsão do Tempo

Xaxim - SC, BR
08/02/23
30°C
céu limpo
Facebook
Instagram
WhatsApp Promoções
WhatsApp Pedidos de Músicas
Baixe nosso App

Ouça ao vivo