Skip to content

Acidente aéreo com a delegação da Chapecoense em 2016 completa 7 anos

Há sete anos a Chapecoense e a cidade de Chapecó vivia o dia mais triste da sua história, o acidente aéreo que tirou a vida de 71 pessoas. Neto, ex-jogador da Chape, foi um dos sobreviventes e desabafou em entrevista: “a vida não volta, e a dor vai continuar”.

 

Memorial da Chapecoense recebe flores na manhã desta quarta-feira — Foto: Andrielli Zambonin/NSC
Memorial da Chapecoense recebe flores na manhã desta quarta-feira — Foto: Andrielli Zambonin/NSC

Em 29 de novembro de 2016, o avião que transportava a delegação da Chape para o jogo de ida da final da Copa Sul-Americana, na Colômbia, caiu nas proximidades de Medellín. Na aeronave estavam jogadores, comissão técnica, dirigentes e jornalistas.

O acidente

Avião que levava a delegação do Verdão caiu nas proximidades de Medellín — Foto: Raul Arboleda/AFP
Avião que levava a delegação do Verdão caiu nas proximidades de Medellín — Foto: Raul Arboleda/AFP

Em 2018, a Aeronáutica Civil da Colômbia concluiu a investigação e confirmou que o combustível do avião não era insuficiente para o voo entre Santa Cruz, na Bolívia, e a Colômbia. O acidente ocorreu por falta de combustível, como consequência da falta de gestão de risco apropriada por parte da Lamia. Sem ter combustível, os motores do avião pararam de funcionar, e a aeronave planou até colidir e cair.

Este dia 29 de novembro traz a saudade, mas também se tornou uma data para cultivar lembranças, demonstrar carinho e respeito à memória dos que nos deixaram. Torcedores puderam prestar suas homenagens, realizar as suas orações e ter um momento de reflexão, na Arena Condá como de costume na parte central do gramado, flores brancas são colocadas de forma simbólica.

Flores colocadas no gramado da Arena Condá — Foto: Alessandra Seidel/ACF
Flores colocadas no gramado da Arena Condá — Foto: Alessandra Seidel/ACF

No Átrio Daví Barella Dávi, rosas brancas são colocadas em cada um dos nomes ao redor da fonte. À noite, um dos refletores da Arena Condá permanece ligado.

Rosas Brancas são colocadas em nome das vítimas do acidente aéreo — Foto: Arquivo/ge.globo
Rosas Brancas são colocadas em nome das vítimas do acidente aéreo — Foto: Arquivo/ge.globo

 

No local onde o acidente aconteceu, as pessoas prestam homenagens até hoje, e na cidade próxima uma celebração vai ser realizada.

Homenagens são prestadas até hoje no local do acidente — Foto: Carlos Mario Ruiz
Homenagens são prestadas até hoje no local do acidente — Foto: Carlos Mario Ruiz

Sobrevivente em busca de justiça

Neto tentou retornar ao futebol e anunciou a aposentadoria em 2019 — Foto: Márcio Cunha/ACF
Neto tentou retornar ao futebol e anunciou a aposentadoria em 2019 — Foto: Márcio Cunha/ACF

Neto, ex-zagueiro da Chapecoense, se tornou símbolo da luta por justiça e da preservação da memória das vítimas. O atleta tentou retornar ao futebol, mas não conseguiu, após ter ficado dois anos em tratamento. O jogador chegou a retornar aos treinamentos com bola, mas anunciou a aposentadoria, em 2019, aos 34 anos.

O zagueiro foi o último sobrevivente a ser resgatado no acidente aéreo, Neto ficou internado por duas semanas na Colômbia. O ex-jogador desembarcou em Chapecó no dia 15 de dezembro.

O ex-goleiro Jakson Follmann e o lateral Alan Ruschel, atualmente no Juventude, foram outros jogadores que sobreviveram, assim como dois tripulantes da LaMia. O narrador Rafael Henzel, também sobrevivente do acidente aéreo, morreu em março de 2019 após sofrer um infarto durante um jogo de futebol com amigos.

Neto também participou, em 2019, junto com viúvas de atletas que perderam a vida no acidente, o presidente da Abravic e três advogados, em Londres, de um protesto em frente à sede da Aon, empresa que alegava ter atuado como corretora do seguro da aeronave da LaMia, e da Tokio Marine Kiln, seguradora.

Neto participou de protesto em Londres junto com viúvas de atletas que morreram no acidente — Foto: Redes Sociais/Divulgação
Neto participou de protesto em Londres junto com viúvas de atletas que morreram no acidente — Foto: Redes Sociais/Divulgação

 

 

Recentemente, Neto fez um jogo de despedida na Arena Condá, com a presença de Ronaldinho Gaúcho, Popó e mais algumas celebridades.

Neto fez jogo de despedida com a participação de Ronaldinho Gaúcho na Arena Condá — Foto: Leno da Silva
Neto fez jogo de despedida com a participação de Ronaldinho Gaúcho na Arena Condá — Foto: Leno da Silva

“Éramos uma família”, afirma Neto em entrevista

O ex-jogador falou  a respeito do sentimento após sete anos do acidente, para ele a justiça precisa ser feita e a memória de todos deve ser preservada.

– Fizemos uma história com muita humildade, sem pisar em ninguém, com esforço e dedicação de todos, com o intuito de querer vencer – falou.

Neto acredita que ao ter sobrevivido, precisa cumprir a missão de buscar justiça e alívio para as famílias das vítimas.

Compartilhe essa notícia

Navegue pelos posts!

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mensagem do dia

Ouça e faça o Download da nossa mensagem do dia!

Previsão do Tempo

Xaxim - SC, BR
20/02/24
25°C
nublado
Facebook
Instagram
WhatsApp Promoções
WhatsApp Pedidos de Músicas
Baixe nosso App